Barra Urgente

Barra Urgente


Resultado da busca pela categoria "tecnologia"

Chega de áudio no WhatsApp! Dá para transformar voz em texto, sem digitar

Quinta | 13.04.2017 | 17h10


(Foto: Reprodução)

As mensagens de áudio no WhatsApp parecem ser uma unanimidade. Parecem... mas não são! Tem quem ame, mas também tem um bom time que odeia. Por isso, ensinamos aqui um caminho alternativo, que deve agradar quem não gosta de ficar digitando longas mensagem e também quem não suporta ficar ouvindo os áudios, especialmente aqueles de mais de dois minutos. Estamos falando da opção "ditado", que aparece nos teclados de dispositivos iOS e Android. Notou que você não precisa fazer nenhum download e nem mudar nada no WhatsApp para parar imediatamente de mandar áudio para os outros? É só clicar no botão com um microfone desenhado e começar a falar. Automaticamente sua voz é transformada em texto, que aparece na tela. Enquanto você estiver falando, o "ditado" vai transcrevendo. 

Golpe no WhatsApp afeta 300 mil brasileiros prometendo ovo de Páscoa grátis

Sexta | 07.04.2017 | 16h06


O WhatsApp se transforma em um vetor de ataques digitais cada vez mais usado pelo cibercrime. Um novo golpe detectado pela empresa de segurança PSafe atingiu 300 mil brasileiros em apenas 24 horas. Para atingir tantas pessoas, bastou prometer um ovo de Páscoa grátis.  Infelizmente, esse tipo de ataque já se tornou comum. A pessoa recebe uma mensagem de alguém conhecido (e possivelmente infectado) com orientações sobre uma suposta promoção; ao clicar no link, o usuário é convidado a preencher um questionário falso, compartilhar o link com amigos e fornecer informações pessoais que possam causar prejuízo financeiro, podendo cadastrar o número de celular em serviços pagos de SMS, ou baixar aplicativos maliciosos que deixam o celular vulnerável.  No caso do golpe do ovo de Páscoa, o esquema envolve a promessa de que as lojas da marca Kopenhagen estão distribuindo um Ovo Língua de Gato para quem participasse da promoção. Obviamente, não é verdade.

WhatsApp dará 2 minutos para usuário apagar mensagens enviadas

Terça | 28.03.2017 | 19h05


(Foto: Reprodução)

O WhatsApp vai permitir apagar uma mensagem em até 2 minutos após após ela ser enviada em uma conversa, segundo imprensa americana especializa em tecnologia. A versão da ferramenta, ainda em fase de testes, já havia sido desenvolvida em outra versão do aplicativo para troca de mensagens. Atualmente, só é possível apagar a mensagem enquanto ela ainda não foi enviada do celular, por alguma falha no sistema de envio. É possível ainda apagar a mensagem já enviada, porém, ela só desaparece da conversa, e não impede a leitura do usuário que a recebeu. A nova função, que já está presente no principal rival do WhatsApp, o Telegram, vai dar dois minutos para o usuário se arrepender. O tempo do Telegram é maior: 48 horas após o envio. O destinatário da mensagem não conseguirá ler o texto, mas receberá um alerta avisando que o remetente retirou a informação.

Samsung oferece até R$ 2.4 mil em aparelho usado para desconto na compra de um celular novo

Segunda | 27.03.2017 | 20h05


(Foto: Divulgação)

Quem pensa em comprar algum smartphone da família Galaxy S7 e Galaxy A 2017 pode dar o celular antigo como entrada e pagar a diferença na promoção da Samsung. A ação faz parte do  programa Trade In, uma parceria entre a marca e a Trocafone, e é válida até o próximo domingo (2). O bônus máximo para descontos chegar até R$ 2,4 mil. Segundo a Samsung, o consumidor precisa verificar se seu modelo de tablet ou smartphone está na lista do programa de Trade In da Samsung. Basta ir a uma Loja Samsung ou procurar na lista. Se o modelo for contemplado pela promoção, o próximo passo é a análise do aparelho usado nas Lojas Samsung. Lá eles vão avaliar ano de lançamento, marca, modelo e avarias do aparelho. Após a análise, o consumidor poderá usar o bônus na compra do novo modelo. “Nestes primeiros meses de 2017, queremos demonstrar como os modelos das famílias Galaxy S7 e Galaxy A 2017 são os mais inovadores do mercado, oferecendo vantagens exclusivas para os clientes Samsung”, explicou Demetrius Oliveira, diretor da Divisão de Samsung Stores, Loja Online e Acessórios da Samsung Brasil.

Brasileiros competem nos EUA com app para monitorar febre amarela

Sexta | 24.03.2017 | 14h13


(Foto: Reprodução)

Dez adolescentes de Goiânia criaram um aplicativo que monitora focos suspeitos de febre amarela e, com isso, foram selecionados para representar o Brasil em um torneio internacional de robótica na sede da Nasa, nos Estados Unidos. O grupo ficou em primeiro lugar no campeonato nacional da Lego depois de desenvolver a ferramenta para celular e um robô que desempenha, sozinho, 16 funções em menos de três minutos (veja vídeo acima).O professor José Nazaré Júnior, coordenador do projeto de robótica da escola Sesi da Vila Canaã, na capital, diz que se sente orgulhoso com o resultado do trabalho dos alunos. Segundo ele, o objetivo foi criar, além do trabalho lúdico com os robôs, uma ferramenta que protegesse os macacos, que, para ele, servem como barreira da febre amarela para ser humano.“Já é notório que os animais protegem as pessoas da febre amarela. Então, a ideia foi criar um aplicativo integrado com os centros de zoonoses para que, assim que algum macaco for encontrado morto em algum lugar, o órgão seja imediatamente notificado para apurar se há ou não a presença do vírus naquela região. Desenvolvemos esta ideia junto com os alunos e foi um sucesso, não tínhamos noção da repercussão”, disse ao G1.O aplicativo Sentinelas foi criado pelos estudantes em agosto do ano passado e já é utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia. A ferramenta é gratuita e está disponível na loja de aplicativos de aparelhos com sistema Android. A interface do app é dividida em três partes, uma para conscientização sobre a doença, com todas as informações a respeito do vírus, uma com a notificação, para envio das fotos, e outra sobre como prevenir a febre amarela.

Messenger, do Facebook, libera uso de menções e de 'reações' e 'botão não curti'

Quinta | 23.03.2017 | 17h13


(Foto: Reprodução)

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (23) a chegada das reações, botões alternativos ao “curtir”, ao Messenger, serviço de comunicação da rede social. Além dos cinco ícones originais e o sinal de positivo, a empresa incluiu a opção do “não curti”. Outra novidade é a menção de amigos e contatos nominalmente em uma conversa para que eles recebam uma notificação.Até agora, esses botões podiam ser usados para interagir apenas com publicações na rede social -- seu uso não era possível em comentários a posts nem em mensagens enviadas pelo bate-papo.Para adicionar uma reação, o usuário terá de pressionar a mensagem até que surja a lista com a opção de botões. Os emojis listados são os habituais "amor", "sorriso", "uau", "triste", "zangado" e o "curtir", chamado pelo Facebook de "sim". Segundo a rede social, o sétimo ícone, um polegar voltado para baixo, não é o "não curti", mas o "não".As reações também serão liberadas para o chat do Messenger no Workplace, a plataforma de comunicação do Facebook para empresas.Tanto os novos botões para bate-papo quanto as menções começam a ser liberados nesta quinta e devem chegar a todos os usuários nos próximos dias.

WhatsApp traz de volta 'status antigo' em definitivo em versão para Android

Terça | 14.03.2017 | 18h11
Autor: G1


(Foto: Reprodução)

O "status antigo" do WhatsApp voltou em definitivo. Depois de lançar uma versão para testes na quinta-feira (9) que retomava os recados no perfil, como "Ocupado" ou "Na academia", o aplicativo de mensagens anunciou que a função começará a ser disponibilizada para todos os aparelhos com sistema operacional Android a partir desta terça-feira (14).A versão para iPhones será lançada "em breve", segundo o WhatsApp, que disse ainda que o WhatsApp Status, recurso que imita o Snapchat e permite compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas, seguirá funcionando.

Drones já substituem trabalhadores dentro de empresas no Brasil

Terça | 14.03.2017 | 08h13
Autor: G1


(Foto: Reprodução)

s não têm carteira assinada, mas pegam no batente em grandes empresas no Brasil. Fazem barulho. Não por melhores condições de trabalho, mas com suas hélices. Podem se locomover a 110 km/h, fazendo o trabalho de dois ou mais homens. Os veículos aéreos não tripulados, ou drones, começam a ser recrutados para executar funções antes realizadas por pessoas.Da mineradora Vale à companhia de energia AES Tietê, empresas ouvidas pelo G1 afirmam que os empregados substituídos não são demitidos, mas realocados para tarefas “mais nobres”. Gastam até R$ 500 mil com os robozinhos, mas economizam outros milhares com mão de obra.Ganham ainda em eficiência e precisão. E isso antes de o governo finalizar a regulamentação das maquininhas voadoras. Lá do alto, elas já vigiam plantas industriais, entram em minas e encontram falhas em telhados. A tendência é que o avanço de robôs, não só dos drones, e de outras tecnologias mude a dinâmica no mercado de trabalho.Tanto é que o estudo “A Revolução das Competências” do ManpowerGourp, apresentado no Fórum Econômico de Davos, aponta que 45% das atividades feitas por humanos no ambiente de trabalho podem ser automatizadas dentro de dois ou três anos.Todas as vezes que tinha de monitorar suas 12 usinas hidrelétricas, a AES Tietê montava uma operação de guerra. Levando equipamentos, um carro conduzia uma equipe que checaria as áreas verdes do entorno da represa e suas margens.

WhatsApp retoma ‘status antigo’, mas mantém imagens que somem em versão de testes

Sexta | 10.03.2017 | 13h09


(Foto: Reprodução)

O whatsApp liberou nesta quinta-feira (9) uma versão para testes que traz de volta o status antigo, que permite a usuários darem recados a seus contatos sem precisar enviar mensagens. O retorno não exclui o Status, novo recurso implantado no fim de fevereiro que permite compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas, uma função nascida no Snapchat e transposta pelo Facebook para o app. O recurso foi reintroduzido na versão beta 2.17.95 do bate-papo, disponível apenas para o sistema operacional Android e aos usuários que se dispõem a testar as novidades do aplicativo antes que seja liberado a todos na Google Play (veja abaixo como virar um testador). Nessa versão, o usuário tem de seguir outro caminho para conseguir inserir um status antigo. Tem de acessar o menu principal, que fica no topo do app, à direita. A partir daí selecionar Configurações > Sua foto de perfil > About and phone number. Há a opção de escolher um recado pronto, como “disponível”, “ocupado”, “bateria prestes a acabar” ou “só chamadas urgentes”. Mas é possível escrever um aviso original ao selecionar “Definido como”. 

Dispositivos móveis só deverão ter velocidade 5G a partir de 2020

Domingo | 05.03.2017 | 08h08


(Foto: Reprodução)

Nova banda de comunicação para dispositivos móveis, o 5G só deve começar a ser implantado em 2020. O anúncio foi pela diretoria da GSMA, órgão que reúne de operadoras a desenvolvedores de software e define padrões do mercado. De acordo com eles, o 5G, que será também um dos principais suportes para a internet das coisas, será um propulsor da quarta revolução industrial. "É uma tecnologia que habilitará novos tipos de serviços, em especial no que diz respeito à automatização, é algo diferente do que vimos até agora", afirmou Marco Galvan, diretor sênior da GSMA durante entrevista à Folha de S. Paulo no Mobile World Congress, em Barcelona. "O 5G só se tornará uma realidade se encontrar condições para isso, com políticas públicas e investimentos adequados", acrescentou. O foco da organização está na modernização da regulamentação do mercado nos países, além de investimentos em infraestrutura para que a cobertura seja expandida. As definições na velocidade não serão feitas antes porque 2020 é o prazo que a GSMA espera para resolver a questão regulamentação. "Talvez tenhamos alguns países mais desenvolvidos, como Coreia do Sul, testando alguns sistemas antes disso, mas duvido que alguém vá produzir algo fora do padrão. Não é vantajoso criar um padrão paralelo e depois lidar com a incompatibilidade de equipamentos produzidos em larga escala", pontua Galvan. Os Jogos Olímpicos na Coreia do Sul, em 2018, são apontados como uma oportunidade para testar as tecnologias com o público.

Versão beta do WhatsApp volta ao status antigo

Sexta | 03.03.2017 | 13h09


(Foto: Reprodução)

Com o lançamento do novo Status do WhatsApp, propriedade que permite o compartilhamento de vídeos e fotos que somem em 24 horas, inspirado no Snapchat e no Instagram, o aplicativo perdeu a opção de colocar a frase de status.  A novidade, lançada há uma semana, não gerou contentamento para todos os usuários da rede social, que acabou rendendo a criação da hashtag #KdMeuStatusDoWhats. No entanto, o recurso antigo ainda pode ser utilizado em uma versão beta para iOS número 2.17.8.14. A informação é do perfil do Twitter @WABetaInfo, que divulga novidades das futuras versões do aplicativo, segundo o site "Uol". De acordo com o@WABetaInfo, a propriedade antiga fica escondida e aparece como "tagline" ou "slogan". Para Android, a versão beta de número 2.17.85 também possibilita o recurso com o nome "about", que também aparece como "info" na versão anterior a esta. As informações divulgadas são extraoficiais e não apontam se, de fato, o WhatsApp vai retornar com o antigo Status, trazendo ambas as opções para os usuários.  De acordo com o "Uol", o usuário pode passar a usar a versão beta, indo até a página do aplicativo no Google Play (opção para Androids) e clicando em "tornar-se testador". O que também não é confirmado.

Facebook ganha recurso para denunciar suicídios e bullying em transmissões ao vivo

Quinta | 02.03.2017 | 15h08


Após casos de transmissões ao vivo de mortes e suicídio, o Facebook anunciou nesta quarta-feira (1) uma nova iniciativa de prevenção. A partir de agora, a ferramenta de vídeos ao vivo (Facebook Live) conta com um mecanismo de denúncias de transmissões em tempo real com conteúdo suicida ou de automutilação – o site já contava com recursos para esse tipo de caso em posts, mas só agora estendeu a função para os vídeos ao vivo. A ferramenta já está funcionando no Facebook para usuários brasileiros, tanto na versão web quanto nos celulares. O objetivo é combater a alta taxa de suicídios no mundo ao colocar a pessoa que enfrenta um momento difícil em contato com outras pessoas que se preocupam com seu bem-estar. 

Status do WhatsApp com fotos que desaparecem chega para todos no Brasil

Quinta | 23.02.2017 | 10h08


(Foto: Reprodução)

O novo recurso do WhatsApp, que permite usar uma foto que desaparece em 24h no status, chegou aos usuários do Brasil nesta quarta-feira (22) - a expectativa é que até o fim do dia todos que têm o app atualizado. A novidade, anunciada essa semana, é similar a recursos do Snapchat e Instagram Stories, permitindo compartilhar imagens, gifs, textos e vídeos que desaparecem em um dia. O serviço estava em fase de testes em vários países. A novidade está disponível para aparelhos Android e iOS, além do Windows Phone. Os status que são publicados com fotos aparecem "por alguns segundos" - não se sabe precisamente quantos. Se houve legenda ou qualquer texto, o tempo é maior. Vídeos podem ter até 45 segundos. Segundo comunicado da empresa, será possível configurar a privacidade para o uso do recurso - você poderá compartilhar suas atualizações com alguns contatos. É possível responder às atualizações de status de amigos. Ao clicar em responder, você enviar uma mensagem em uma conversa privada para a pessoa.  A empresa informou ainda que é possível tirar print da tela de status - por enquanto, o dono da postagem não será notificado do screenshot.

Bloqueio do WhatsApp é vedado pelo Marco Civil da Internet, afirma empresa

Segunda | 20.02.2017 | 13h10


(Foto: Reprodução)

A defesa do aplicativo de mensagens WhatsApp argumentou para o Supremo Tribunal Federal (STF) que o bloqueio do programa pela Justiça é inconstitucional, fere o direito à livre expressão e livre iniciativa e é vedado pelo Marco Civil da Internet. A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 403), proposta em 2016, discute a possibilidade de juízes determinarem o bloqueio do WhatsApp. O aplicativo apresentou defesa diante à audiência pública do STF. O WhatsApp já foi bloqueado em quatro situações no Brasil. Em relação ao Marco Civil da Internet, o aplicativo defende que ele não pode ser utilizado para um pedido de bloqueio. “Não há nada no Marco Civil da Internet que permita a suspensão do acesso dos usuários a um aplicativo, como ocorreu nas ordens de bloqueio até agora”, afirma o documento. O aplicativo também argumenta que o bloqueio fere à libre iniciativa, à livre concorrência e à igualdade, além de afirmar que as ordens de bloqueio são ineficazes. “Elas não servirão ao objetivo de auxiliar nas investigações policiais porque os criminosos simplesmente migrarão para outras plataformas de mensagens criptografadas”, afirma a defesa.

WhatsApp anuncia recurso para compartilhar fotos, vídeos e GIFs que somem em 24 horas

Segunda | 20.02.2017 | 08h06


(Foto: Reprodução)

O WhatsApp anunciou nesta segunda-feira (20) que as imagens que somem em 24 horas chegaram ao serviço de mensagens rápidas. Com isso, o Facebook faz do bate-papo um novo concorrente do Snapchat, depois de já ter colocado o Instagram em rota de colisão com o app do fantasminha. Os usuários poderão compartilhar com os amigos fotos, vídeos e GIFs que se autodestroem. Esses conteúdos não serão enviados nas mensagens. Serão reunidos na aba Status, que ficará no lugar dos Contatos. Bastará tocar na foto de algum amigo para que elas sejam mostradas. Um ícone de câmera também foi incluído na entrada do app para que os usuários possam produzir imagens de forma mais rápida para publicar como Status ou serem enviadas diretamente a algum contato. Fora isso, antes de serem publicadas, as imagens poderão ser editadas. Emojis, textos e palavras manuscritas poderão ser incluídas. A atualização chega a usuários da Holanda e França, e ainda nesta semana, para os de Reino Unido, Espanha, Itália, Israel e Arábia Saudita. Os usuários de demais países, incluindo os brasileiros, receberão o recurso em breve.

Próximo Whatsapp terá recurso de postagens que se auto-apagam após 24 horas

Sábado | 18.02.2017 | 11h10


Uma nova atualização do Whatsapp tem um recurso que permite publicações temporárias, que desaparecem depois de 24 horas, de modo similar ao Snapchat e ao “Stories” do Instagram.A função foi descoberta em uma versão de testes ao qual o site WAbetainfo teve acesso. Os usuários poderão marcar quais contatos poderão ver as publicações feitas na nova seção “status”, que também ficará aberta a receber comentários. Nessa versão, poderão ser postados textos, fotos ou vídeos de até 45 segundos, e haverá confirmação de visualização, de modo similar às mensagens convencionais, segundo o WAbetainfo. A nova função foi encontrada na versão do WhatsApp para iOS de número 2.17.4. Ainda não há nenhum anúncio oficial por parte do Whatsapp de que a função encontrada na versão de testes fará parte do aplicativo. Tanto o Instagram, que tem recurso similar, quanto o Whatsapp pertencem ao Facebook. // Veja.

Apps informais do FGTS faturam até R$ 70 mil por mês

Terça | 14.02.2017 | 07h05


(Foto: Reprodução)

A Liberação do saque das contas inativas do FGTS deixou não apenas os trabalhadores ansiosos para receber o dinheiro. Desenvolvedores de aplicativos que tratam do serviço também surfam na onda e registram alta nos downloads e na receita. A companhia com mais apps do gênero, por exemplo, viu seu faturamento saltar 22 vezes e chegar a R$ 70 mil mensais. Apesar de a Caixa Econômica Federal (CEF) possuir seu próprio aplicativo, que dá acesso ao extrato das contas do FGTS, o G1 identificou mais de 30 outros serviços nas lojas virtuais do Google e da Apple. Para Android, o sistema operacional do Google usado por mais de 90% dos smartphones brasileiros, são oferecidos 29 aplicativos. Já para iOS, da Apple, são apenas três.

Saiba identificar notícias falsas e evitar golpes online

Domingo | 12.02.2017 | 11h04


(Foto: Reprodução)

O que a morte de Bin Laden, o desaparecimento de voo MH370 da Malaysian Airlines e o nascimento do bebê real têm em comum? Todos foram notícias de interesse internacional e que geraram a curiosidade dos usuários da internet em acessar informações não oficiais, como fotos e vídeos. Não por acaso, esses eventos também foram usados como isca por cibercriminosos para espalhar, em redes sociais, campanhas maliciosas como spam e fraudes online. Segundo o analista de segurança da fabricante de antivírus russa Kaspersky Lab, Thiago Marques, os cibercriminosos se aproveitam de notícias de grande interesse para oferecer suposto acesso a detalhes que não estão disponíveis por fontes oficiais e, assim, viralizar campanhas e programas maliciosos com a intenção de infectar o maior número de vítimas possível. "Notícias com imagens polêmicas, especialmente em redes sociais, são frequentemente utilizados por cibercriminosos como isca que levam a sites falsos, como também para espalhar malware ou software indesejado", alerta Marques. Não é à toa que o Facebook está organizando uma grande campanha mundial para evitar a disseminação de notícias falsas em sua plataforma. Tanto o Facebook como o Google enfrentaram críticas generalizadas por permitir que artigos de fontes não confiáveis se espalhassem durante as eleições presidenciais dos EUA e líderes europeus expressaram preocupação de que tal desinformação possa afetar os próximos eventos políticos em todo o continente. Ainda segundo o especialista, ao clicar em links de notícias falsas, o usuário pode ser redirecionado para uma página em que, supostamente, poderá ver o vídeo, imagem ou informação. Porém, antes de acessar o site, a página pode exigir que o internauta compartilhe uma mensagem nas redes sociais e instale um plugin. Em muitos casos, o software faz download de um programa indesejado que exibe automaticamente anúncios enquanto o usuário navega na web, a fim de gerar lucro aos seus autores. 

Twitter anuncia medidas para conter ódio na rede

Domingo | 12.02.2017 | 08h10


(Foto: Reprodução)

As redes sociais se tornaram um dos palcos principais para o assédio e a disseminação do ódio. Sob a proteção de um pretenso anonimato, e alegando a liberdade de expressão, pessoas em todo o mundo usam essas ferramentas para agredirem e discriminarem outras. Para tentar conter esse problema, o Twitter anunciou na terça-feira novas medidas. A principal delas é que a equipe de segurança da companhia vai tentar identificar as pessoas que foram suspensas permanentemente da rede, mas que cismam em retornar com novas contas. Segundo o Twitter, o objetivo é tornar mais eficaz o banimento de uma das mais “prevalentes e danosas formas de comportamento”, de contas que são criadas especificamente para o assédio a uma determinada pessoa. Além disso, a companhia promete trabalhar numa "busca segura", que remove as publicações que possuam conteúdo potencialmente sensível dos resultados de buscas. Os tweets de contas bloqueadas e suspensas temporariamente também serão excluídos. A empresa também trabalha em métodos para identificar respostas potencialmente abusivas e de "baixa qualidade", que ficarão em segundo plano em relação ao conteúdo mais relevante.

Agora é possível proteger seu WhatsApp com senha

Sábado | 11.02.2017 | 09h13


(Foto: Reprodução)

O WhatsApp, que pertence ao Facebook, liberou nesta quinta-feira (9) um recurso que promete aumentar a segurança no aplicativo. A autenticação de duas etapas permite que os usuários criem uma senha de seis dígitos para proteger suas conversas e outras informações pessoais. A novidade surge no ato do primeiro login, quando você configura o WhatsApp em um novo aparelho. A autenticação de duas etapas já é utilizada por aplicativos bancários e até serviços de e-mail. O recurso permite que o usuário personalize uma senha de seis dígitos para garantir que sua conta pessoal não seja utilizada em nenhum outro dispositivo. Uma vez feito isso, a função estará ativa para o número de telefone. Além do código, o usuário terá que fornecer um endereço de e-mail que será usado para redefinir sua senha caso a esqueça. "Assim você não corre o risco de ficar sem acesso a sua conta caso se esqueça de seu código de acesso", explica o WhatsApp. Quem não quiser ativar a autenticação em dois fatores não será obrigado a isso. Aqueles que ativarem o recurso de segurança serão solicitados a inserir o código periodicamente, explica o WhatsApp. Para usar a função, você precisa ir às configurações de conta do aplicativo e ativá-la manualmente.